Historia

Mudar o curso de uma vida profissional estabilizada e bem-sucedida, pelo aspecto financeiro, para ir ao encontro de uma realização pessoal, que também deveria ser capaz de garantir a renda necessária para se viver bem. Muitas pessoas podem manter esse desejo no nível dos sonhos, uma vez que essa é uma atitude arriscada, que exige um pacote recheado de coragem, flexibilidade e perseverança.

Esse foi o desafio abraçado pelo empresário Márcio Silva, fundador do Espaço Gourmet Escola de Gastronomia, que existe há dez anos e é considerado um dos principais endereços, no concorrido segmento. Silva optou por deixar para trás uma carreira bancária consolidada para preencher o seu tempo com uma saborosa atividade.

Márcio Silva não nasceu em uma família abastada e nem teve parceiros, sócios ou patrocinadores, além de ter optado pela criação de sua escola, longe de sua cidade natal. Tinha tudo para dar errado, mas sua iniciativa deu tão certo, que o negócio não apenas prosperou, mas o sonho de Silva tornou-se o objetivo de muitos colaboradores e alunos: alcançar a qualidade de vida por meio de uma atividade prazerosa.

“Eu estava decidido a recomeçar minha vida e não pouparia esforços para obter êxito. Para conquistar esse objetivo não encontrei desculpas e iniciei, sozinho, a operação de uma pequena escola. Tinha ao meu favor minha formação em Economia, minha experiência profissional no banco, meu curso de Chef de Cuisine e, principalmente minha intuição”.

Tudo começou em setembro de 2004, quando Márcio Silva alugou duas salas, que totalizavam 50 metros quadrados (contra atuais 1.000 metros quadrados) no piso superior de um prédio de pequeno porte. Avisou os amigos e colegas do banco sobre sua nova empreitada e inaugurou o Espaço Gourmet em 01 de dezembro de 2004. “Cada vez que fechava um curso, eu contratava um chef para ministrar a aula e uma pessoa para cuidar da lavagem de louças e limpeza do espaço. Em todas as aulas, além de auxiliar o chef, eu acumulava todas as funções, tais como o mise en place (conjunto de preparações que precedem a preparação propriamente dita)”.

Com apenas três adesões para cada curso, Márcio acionava o modo siga-me do telefone do Espaço Gourmet e seguia para o Mercado Municipal para realizar a compra dos insumos. “As demais matrículas eram fechadas no caminho, controladas por uma planilha impressa de Excel, disposta numa prancheta”, recorda.

A administração do Espaço Gourmet, que hoje é totalmente automatizada, era controlada manualmente por planilhas. As apostilas, utilizadas até os dias de hoje, tiveram sua base formulada desde o início da escola. “A boutique que temos hoje, com a exposição de produtos de diversos parceiros, começou numa tímida prateleira com a venda de meia dúzia de utensílios”, completa.

Já a divulgação dos cursos oferecidos pela escola era feita por uma newsletter, diagramada por Silva, e também compartilhada por ele. “Para que os e-mails da escola não fossem identificados como spam, eu dedicava cerca de dois dias para essa atividade. Além disso, durante longos cinco anos, o único carro que eu tinha, tanto para passeio, quanto para trabalho, foi plotado para ampliar o alcance da marca”, ressalta.

Somente oito anos mais tarde, em 2013, Márcio passou a contar com o suporte de sócios, que contribuíram com suas qualidades, de modo a facilitar a tomada de decisões, e de uma empresa de consultoria, para ajudar no planejamento dos próximos anos do Espaço Gourmet. “Juntos, contratamos uma equipe do qual muito me orgulho e, hoje, no auge de uma década de trabalho, e com quatro franquias estabelecidas, estamos prestes a retomar o projeto de expansão que abrange o restante do Brasil”, conclui.